Enllevo - Soluções que Geram Satisfação - Desenvolvimento de Software - ERP - WMS - YMS - TMS - Logistica - Automotivo - Distribuição - Nota Fiscal - Gestão de RH - Consultoria Empresarial - Enllevo, "Sensação ou Estado de Espírito" - Enllevo by Shapeness Marca Enllevo

Institucional

Transformação Digital

home / Transformação Digital

Transformação digital começa pelas pessoas e não pela tecnologia

Parecer um conceito futurista sem previsão para acontecer...

Transformação digital é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural e cultural nas organizações dando um papel essencial para a tecnologia.

Processo de integrar tecnologia digital a todos os aspectos da empresa, o que exige mudanças fundamentais de tecnologia, cultura, operações, estrutural e entrega de valor. Porém, a transformação digital não é um conceito para o futuro, e sim algo pelo qual as empresas de hoje têm de dar o máximo de atenção para continuar vivas. Para aproveitar melhor as tecnologias emergentes e sua rápida expansão nas atividades humanas, uma empresa precisa se atualizar, transformando todos os seus processos e modelos. A transformação digital requer uma mudança significativa e se livrar da tecnologia legada, além de alterar a cultura da companhia para apoiar a aceleração que vem com a transformação digital.

As empresas estão rapidamente trocando suas interações tradicionais por experiências digitais alimentadas pelos avanços na tecnologia. Frequentemente, isso ocorre não porque as empresas querem se transformar, mas porque elas precisam se transformar se quiserem sobreviver. O mercado passou a esperar que as empresas criem experiências digitais eficientes, e uma empresa que não se adaptar a esse novo modelo de cliente digital será abandonada.

Por outro lado, uma empresa que aceitar as mudanças e se adaptar a um modelo mais ágil tem o potencial para ter mais sucesso do que nunca. Isso porque a transformação digital, em sua essência, significa examinar todos os aspectos de uma empresa e descobrir como modernizá-los, para que possam continuar a evoluir conforme a tecnologia evolui.

Revolução "1784"

Teve início na Inglaterra por volta da metade do século 18 e um dos seus acontecimentos mais marcantes foi a invenção da máquina a vapor. A novidade impulsionou a produção têxtil, o que gerou muitas novas profissões, as cidades cresceram e se expandiram não apenas economicamente, mas também geograficamente falando. No mesmo período, foram construídas as ferrovias, o transporte de bens de mercadorias se ampliou, assim como a busca por mas insumos para a indústria.

Industria 1.0
  • Mecanização
  • Tear
  • Força à vapor
Revolução "1870"

Aconteceu em meados do século 19, período em que surgiram várias invenções que até hoje fazem parte do nosso dia a dia: automóvel, telefone, tv, rádio, avião, entre outros. Como pode-se perceber, a grande revolução aconteceu na área tecnológica, o que desencadeou uma forte aceleração, da economia e do estilo de vida da sociedade como um todo.

Industria 2.0
  • Produção em escala
  • Linha de montagem
  • Eletricidade e Combustão
Revolução "1969"

Apesar de haver bastante divergência no sentido de quando realmente aconteceu, é consenso que aconteceu entre o fim da 2ª Guerra Mundial até a metade da década de noventa, com a popularização do computador pessoal e a internet.

De qualquer maneira, o que sabe-se com certeza é que a 3ª revolução foi marcada por grandes avanços tecnológicos e científicos que atingiram todas as esferas: industrial, agropecuária, comercial e prestação de serviços.

Outra evolução que merece menção é a globalização, que com sua chegada permitiu que o mundo se conectasse, trocando produtos, tecnologias e informações que antes levavam muito mais tempo para atravessar os oceanos de distância entre os continentes. Mas isso já seria o início da 4ª Revolução Industrial: a Transformação Digital.

Industria 3.0
  • Automação Robótica
  • Computadores e Internet
  • Eletrônicos
Revolução "dias atuais"

A Quarta Revolução Industrial é diferente de tudo o que a humanidade já experimentou. Novas tecnologias estão fundindo os mundos físico, digital e biológico de forma a criar grandes promessas e possíveis perigos. A velocidade, a amplitude e a profundidade desta revolução estão nos forçando a repensar como os países se desenvolvem, como as organizações criam valor e o que significa ser humano.

O que caracteriza essa revolução?

Dados são o novo ouro: Cada era teve seu recurso primordial, como o carvão e a eletricidade. Porém, hoje em dia esse objeto é um pouco menos tangível. Conhecimento é a mercadoria de maior valor para a quarta revolução industrial, pois ele permite aproveitar melhor os recursos disponíveis e produzir com mais qualidade em menos tempo.

Máquinas que aprendem: Junto com a informação, também vem o aprendizado das inteligências artificiais. Graças ao grande acervo de ferramentas de dados, como o Big Data, a Nuvem e a Internet das Coisas, as máquinas já podem encontrar novos padrões de atuação, fazer testes e se tornarem mais inteligentes.

Industria 4.0
  • Sistemas Cibernéticos
  • Internet das Coisas
  • Conexões super rápidas
  • Inteligência Artificial

Cliente

O primeiro domínio da transformação digital é o cliente. Isso não é novidade para você, já que mencionei tanto a sua importância durante esse post.

Pela teoria convencional, os clientes eram somente telespectadores aos quais as empresas dirigiam suas propagandas e o modelo de negócio era a produção e comunicação em massa.

Na era digital, estamos avançando para um mundo mais dominado pela rede de clientes.

Nesse paradigma os clientes se conectam e interagem com a marca dinamicamente. Hoje, eles estão o tempo todo se influenciando reciprocamente e construindo a reputação das empresas e marcas.

O uso de ferramentas digitais está mudando a maneira como os consumidores descobrem, avaliam, compram e usam os produtos, e como compartilham, interagem e se mantêm conectados com as empresas.

Isso está forçando as empresas a repensarem seus funis de marketing tradicionais e a reexaminar os caminhos dos clientes para as compras, que podem se alternar entre o uso de redes sociais, mecanismos de busca, laptops ou até mesmo por meio de um chat-online feito por um chatbot.

Em vez de ver os consumidores apenas como alvos de vendas, as empresas precisam reconhecer que os clientes em rede podem ser o melhor grupo de foco, influenciadores e parceiros de inovação em seu negócio.

Por isso, valorize o seu cliente e trate-o da melhor maneira possível!

Competição

O segundo domínio da transformação digital é a competição.

Está acontecendo algo engraçado em relação a esse aspecto. Tradicionalmente competição e cooperação eram vistas como opostos.

As empresas competiam com empresas rivais muito parecidas com elas mesmas e cooperavam com parceiros da cadeia de fornecimento que distribuíram seus bens ou forneciam os inputs necessários para a sua produção.

Hoje estamos caminhando para um mundo de fronteiras mais fluidas em relação aos setores. Os nossos maiores desafiadores podem ser concorrentes fora do nosso segmento que oferecem valores parecidos.

Essa "desintermediação digital" está virando de ponta cabeça parcerias e cadeias de fornecimento - os nossos parceiros de negócios de longa data podem tornar-se nossos maiores concorrentes se os nossos aliados tradicionais começarem a servir diretamente aos nossos clientes.

O resultado final dessas mudanças é um grande deslocamento do que chamamos de competição. A batalha é sobre uma disputa de influência entre empresas, com modelos de negócio muito diferentes, cada uma buscando a alavancagem diante ao consumidor final.

Dados

O domínio seguinte da transformação digital são os dados: como as empresas produzem, gerenciam e usam a informação.

Até algum tempo atrás, os dados eram oriundos de pesquisas e pastas físicas armazenadas em grandes armários. Esses dados eram utilizados para previsões, avaliações e tomadas de decisões.

Em contraste, hoje nos deparamos com uma grande quantidade de dados. A maioria dos dados que inunda as empresas não é gerada por qualquer planejamento, como pesquisa de mercado, interações e processos dos clientes com a empresa.

Com as mídias sociais, os dispositivos móveis e canais uma empresa, todos os negócios têm acesso a uma enxurrada de dados não estruturados, que são gerados sem planejamento e que podem ser usados, cada vez mais, para alimentar novas ferramentas analíticas.

Essas ferramentas de big data criam condições para que as empresas façam novos tipos de previsões, descubram padrões inesperados nas atividades de negócios e liberem novas fontes de valor.

Agora, os dados estão se transformando em uma grande vertente para todas as unidades organizacionais e em ativos estratégicos a serem desenvolvidos e explorados ao longo do tempo.

Os dados são componentes fundamentais de como todas as empresas funcionam, se diferenciam nos mercados e geram novo valor.

Já falei um pouco sobre a importância dos dados ao longo do texto, mas se você quiser saber mais sobre como usá-los de uma forma prática leia as tendências da transformação digital no próximo tópico.

Inovação

O quarto domínio da transformação digital é a inovação: o processo pelo qual novas ideias são desenvolvidas, testadas e lançadas no mercado.

Tradicionalmente, a inovação era gerenciada com foco exclusivo no produto acabado. Como os testes de mercado eram difíceis, a maioria das decisões sobre inovação se baseavam em intuição. Porém, o custo do fracasso sempre foi alto, portanto evitá-lo era e ainda é fundamental.

As empresas competiam com empresas rivais muito parecidas com elas mesmas e cooperavam com parceiros da cadeia de fornecimento que distribuíram seus bens ou forneciam os inputs necessários para a sua produção.

As startups e empresas de tecnologia de hoje possibilitam que a inovação seja encarada de maneira muito diferente, com base no aprendizado contínuo, por experimentação rápida.

À medida que facilitam e aceleram mais do que nunca o teste de ideias, é possível receber feedback do mercado desde o início do processo de inovação, mantendo-o constante até o lançamento e depois.

Essa nova abordagem à inovação se concentra em experimentos cuidadosos e em protótipos de viabilidade mínima, que maximizam o aprendizado ao mesmo tempo que minimizam os custos.

As premissas são testadas sucessivas vezes e as decisões sobre o projeto são tomadas com base em validação pelos clientes reais! Não é um processo mais confiável?

Dessa maneira, os produtos são desenvolvidos por meio de repetições sucessivas, mediante um processo que economiza tempo, reduz o custo financeiro e melhora o aprendizado organizacional.

Valor

O domínio final da transformação digital é o valor que o negócio entrega aos clientes.

Tradicionalmente, a proposta de valor da empresa era considerada duradoura ou quase constante. Os produtos podiam ser atualizados, as campanhas de marketing revigoradas, as operações melhoradas, mas o valor básico oferecido pelo negócio aos clientes era constante e definido pelo setor de atividade.

Tradicionalmente, a proposta de valor da empresa era considerada duradoura ou quase constante. Os produtos podiam ser atualizados, as campanhas de marketing revigoradas, as operações melhoradas, mas o valor básico oferecido pelo negócio aos clientes era constante e definido pelo setor de atividade.

Na era digital, confiar em proposta de valor imutável é semear desafios e dar vantagem para concorrentes com propostas de valor mais atraentes.

Embora os setores sejam diferentes entre si quanto ao momento e à natureza de suas transformações impostas pelas novas tecnologias, quem achar que seu momento de mudar está longe será um dos primeiros a sentir o impacto.

A única prevenção segura em um contexto de negócios em mutação é escolher o caminho da evolução constante, considerando todas as tecnologias como maneira de estender e melhorar a proposta de valor aos clientes.

Em vez de esperar para adaptar-se quando a mudança tornar-se questão de vida ou morte, as empresas devem concentrar-se em aproveitar as oportunidades, descartando as fontes ruins de vantagem competitiva e adaptando-se desde agora para se manter na dianteira.

São 3 passos que você precisa dar. Veja quais são:

Visualize o futuro digital do negócio

O primeiro passo é enxergar as possibilidades que se abrirão para o seu negócio assim que ele estiver realmente preparado para tirar proveito do ambiente digital.

Com isso, você será capaz de montar um plano de ação, com cada etapa da mudança até chegar no ponto ideal.

É claro que isso não deve ser feito sozinho, mas com a ajuda de outras figuras de liderança na empresa.

Invista em iniciativas digitais e novas habilidades

Algumas das iniciativas digitais que fazem parte da transformação digital, como o marketing de conteúdo, mas há muitas outras que vale a pena explorar.

Além disso, não deixe de ajudar seu time a desenvolver novas habilidades, que serão importantes para a transformação digital, como a persuasão.

Transformação digital é uma jornada contínua

O comportamento do cliente muda frequentemente, portanto a transformação digital é uma jornada contínua. É um projeto que nunca vai parar.

Se você chegar na conclusão que o seu negócio ficou muito mais eficiente depois do seu projeto terminado, saiba que há sempre mais para fazer!

Procure se atualizar todos os dias e para isso leia as novidades no mundo do Marketing Digital. Olhe as tendências tecnológicas globais e saiba que investir na tecnologia será o maior benefício para os seus clientes agora e futuramente.


"A transformação digital não se diz respeito, basicamente, a tecnologia, mas sim a estratégia."

Podemos ajudar você a transformar seus negócios mais rápida e facilmente do que você jamais considerou possível.

Assine e fique por dentro de conteúdos exclusivos